São Domingos Sávio

Ele foi aluno e filho espiritual de Dom Bosco. Faleceu com apenas 15 anos e se tornou o padroeiro dos
jovens.

Nascido em Castelnuovo d’Asti, Itália, desde cedo intrigou seus pais por seu espírito de bondade

e busca de santidade. Ainda menino, buscava sempre ajudar os que precisavam sem que
ninguém o instigasse a fazer isso. Procurava também a oração e tinha prazer nas coisas de
Deus.

Aos sete anos, quando fez sua primeira comunhão, escreveu seus propósitos de vida e passou
a segui-los decididamente. Ele escreveu de próprio punho:

“Propósitos que eu, Domingos Sávio, me propus no ano de 1849, quando fiz a Primeira
Comunhão, aos sete anos de idade: 1) Confessar-me-ei muito amiúde e receberei a Sagrada
Comunhão sempre que o confessor me permitir; 2) Quero santificar os dias de festa; 3) Meus
amigos serão Jesus e Maria; 4) Antes morrer que pecar”.

Este último propósito “Antes morrer que pecar” tornou-se lema de vida para muitas pessoas e
foi adicionado a uma oração de arrependimento chamada “Ato de Contrição”.

Interessante que o caminho de piedade e busca de santidade feito por este menino, não ficou
apenas na pieguice ou num devocionismo sem consequências para a vida prática. Não. A vida
espiritual de Domingos Sávio transbordou para sua vida prática, cotidiana.

Certa vez na escola, ele fora acusado injustamente por colegas invejosos e de mau caráter.
O padre que acompanhava o caso, embora duvidando que Domingos Sávio fosse capaz de
cometer um delito, diante das “evidências”, teve que puni-lo.

Domingos foi punido diante de toda a classe e não abriu a boca. No dia seguinte, por
intervenção de Deus, a verdade foi revelada e a inocência de Domingos ficou provada. O
padre quis saber porque ele não se defendera. O menino respondeu que queria imitar a
Nosso senhor Jesus Cristo, que também fora acusado injustamente e não abriu a boca para se
defender.

Este fato demonstra claramente que São Domingos Sávio não era um menino desajustado,
vítima de uma piedade exagerada. Mostra que sua piedade e vida de oração o levavam a uma
prática cristã madura. Coisa que muitos adultos jamais conseguiram.

Por isso, Domingos Sávio tornou-se padroeiro da juventude. Sua vida é um misto de contato
com Deus e prática cristã na vida cotidiana.

Certa vez, ele estava no horário de recreio da escola brincando com seus amigos. Então,
chegou alguém e lhe perguntou o que ele faria se soubesse que o mundo fosse acabar dali a
poucos instantes. Domingos respondeu: “Eu continuaria fazendo o que estou fazendo agora:
brincando com meus amigos.”

A vida espiritual e a fé de Domingos Sávio davam a ele uma serenidade e uma paz interior que
impressionava a todos os que o conheciam. São João Bosco foi um dos que se impressionou
com o garoto e escreveu que Domingos tinha sido elevado à maturidade espiritual por graça
de Deus.

A serenidade e a paz interior de São Domingos Sávio apareceram mais ainda quando ele ficou
doente e teve o diagnóstico de tuberculose. Permaneceu em paz, sereno, disposto a enfrentar
tudo o que fosse preciso. Não tinha medo da morte nem do sofrimento, pois sabia que Deus
estava com ele.

Assim, ele enfrentou a tuberculose, incurável na época, sem se perturbar, sem reclamar, sem
murmurar e faleceu com apenas 15 anos de idade.

Por tudo isso, ele é o padroeiro da juventude e de todos os jovens e adolescentes. Que seu
exemplo de fé e maturidade espiritual, mesmo sendo jovem em idade, nos ajudem a enfrentar
as dificuldades da vida sem murmurar, sem reclamar, mas confiando na presença de Deus que
está sempre conosco.

Medalha de São José        Medalha de São José        Medalha de São José

 


 

Vicente AbreuDiretor de programa e roteirista na Tv seculo 21.
Criação, roteiro e direção,  dramaturgia e  campanhas.
Ensino superior: PUCCamp Campinas Filosofia e Teologia
Google Plus

 

Share Button

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Campos com * são obrigatórios